Skip to content

Entrada / Historial

Historial da Contacto

CONTACTO, 34 ANOS DE TEATRO

A CONTACTO nasceu a 22 de Setembro de 1983, data em que se apresentou ao público vareiro com uma das mais conhecidas e carismáticas peças de Bernardo Santareno, “A Promessa”. Inicialmente sediada no salão paroquial São Cristóvão, inscrita e apoiada pelo Inatel de Aveiro, a Contacto, ou melhor, o então Grupo de Teatro Água Corrente de Ovar, vingou num meio pouco habituado ao dito teatro intencional graças aos esforços e à verticalidade dos seus fundadores e, principalmente, à dedicação e à disponibilidade de todos os seus membros, atores, atrizes e demais colaboradores. Em 1985, ao abrigo de um protocolo estabelecido com o Orfeão de Ovar, a Contacto passou a funcionar no secular Teatro Ovarense (que os Bombeiros Voluntários mandaram demolir em 2000), onde permaneceu durante cerca de dez anos, como Secção de Teatro da referida coletividade, protocolo que viria a denunciar pouco tempo depois. O ano de 1995 foi muito complicado para a Contacto que se viu obrigada, por ordem dos Bombeiros Voluntários, a abandonar o velho edifício e a procurar nova morada. A resolução deste problema passou pela vontade e compreensão da benemérita Família Sá que, sensível a esta e outras iniciativas culturais, colocou à disposição da Contacto a sua casa na Rua Alexandre Herculano n.º 46/48, onde continuámos a desenvolver muitos dos nossos projetos, durante quase sete anos. Um desses projetos e talvez o mais importante foi concretizado precisamente em 2001, com a aquisição da sede da Companhia, na Rua Dr. José Falcão, n.º 239, por dezanove mil contos. Tal só foi possível com os apoios financeiros do Instituto Português da Juventude/RNAJ, da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de Ovar, com os donativos recebidos de muitos amigos e colaboradores e com um empréstimo bancário contraído pela Direção de então. Fundada sob a denominação de Grupo de Teatro Água Corrente de Ovar, foi a 18 de Maio de 1993, data da sua legalização no Cartório Notarial de Ovar, que a alteração de nomes se verificou, passando a chamar-se CONTACTO – Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar.

PEÇAS, RECITAIS E FESTIVAIS

«A Promessa», de Bernardo Santareno, 1983; «Farruncha», de Jaime Gralheiro, para a infância, 1984; «Senda Luz», recital de poesia e teatro, 1985; «Minha Pobre Boneca», de Maria Alvarez de Burgos, 1985; «A Lanterna Mágica», de Manuel Ramos Costa, para a infância, 1986; «Nacosdarte», recital de poesia e teatro, 1987; Ciclo de Teatro em Ovar, de 24/10 a 14/11/1987; «António Marinheiro», de Bernardo Santareno, 1987; «João Pateta», teatro de fantoches, 1989; «Mar», de Miguel Torga, 1990; «João Ratão», de Manuel Ramos Costa, para a infância, 1990; «Recordar é Viver», teatro revista em parceria com o Orfeão de Ovar, 1992; «O Gebo e a Sombra», de Raul Brandão, 1993; Festovar’94, 1ª edição, de 05/11 a 03/12; «O Pelicano», de August Strindberg, 1995; Festovar’95, 2ª edição, de 21/10 a 18/11; «O Príncipe Feliz», de Óscar Wilde, 1996; «Restos», de Bernardo Santareno, 1996; Festovar’96, 3ª edição, de 19/10 a 23/11; «As Troianas», de Jean-Paul Sartre, 1997; Festovar’97, 4ª edição, de 11/10 a 22/11; «El-Rei Papão», de José Jorge Letria, para a infância, 1998; «O Rei Imaginário», de Raul Brandão, 1998; Festovar’98, 5ª edição, de 17/10 a 28/11; «Parda Flor Bela», com textos de Gil Vicente e de Florbela Espanca, 1999; «Todo o Mundo», auto de moralidades, 1999; Festovar’99, 6ª edição, de 15/10 a 27/11; «Cavalo de Pau», de Manuel Ramos Costa, para jovens, 2000; «Guerra Santa», de Luís de Sttau Monteiro, 2000; Festovar’2000, 7ª edição, de 13/10 a 25/11; «As Espingardas da Mãe Carrar», de Bertolt Brecht, 2001; «Rico Par de Botas», de Manuel Ramos Costa, para a infância, 2001; Festovar’2001, 8ª edição, de 12/10 a 24/11; «O Santo Inquérito», de Dias Gomes, 2002; «O Laçarote de Petiz Piparote», de Manuel Ramos Costa, 2002; Festovar’2002, 9ª edição, de 11/10 a 23/11; «Final Feliz», de Manuel Ramos Costa, 16/11/2003; «Menina Júlia», de August Strindberg, 22/11/2003; Festovar’2003, 10ª edição, de 21/09 a 22/11/2003; Dar Teatro’04, de Janeiro a Julho; «A Tulipa Negra», de Manuel Ramos Costa, 14/11/2004; «A Casa de Bernarda Alba», de Federico Garcia Lorca, 27/11/2004; Festovar’2004, 11ª edição, de 08/10 a 27/11/2004; «O Cavaleiro da Utopia», de Manuel Ramos Costa, 20/11/2005; Dar Teatro’05, de Janeiro a Julho; «O Adorável Divórcio», de Manuel Ramos Costa, 26/11/2005; Festovar’2005, de 14/10 a 26/11/2005. Dar Teatro’06 de Janeiro a Setembro; Café Contacto 06 – Junho e Julho 06; «A Tulipa Negra» de Manuel Ramos Costa (reposição com novo elenco), 15/10/2006; «A Lanterna Mágica» de Manuel Ramos Costa (reposição com novo elenco), 19/11/2006; «A Lição» de Eugène Ionesco, 25/11/2006; Festovar’2006, 13ª Edição, de 14/10/2006 a 25/11/2006; “Abril Em Flor”, 24/04/2007; Café Contacto 2007 - “Ovar da Nossa Saudade”, 06/07/2007; “O Principe e a Andorinha”, 25/11/2007; “A Farsa de Mestre Pathelin” de autor desconhecido, 01/12/2007; Festovar’2007, 14ª Edição, de 12/10/2007 a 01/12/2007; “Abril em Flor 2008”, 24/04/2008; Café Contacto 2008 - “Soltar as Palavras”, 11/07/2008; “A Bela Princesa do Norte” dramaturgia de Manuel Ramos Costa, 02/11/2008; “O Auto da Alma” de Gil Vicente, 08/11/08; Festovar’2008, 15ª Edição, de 26/09/08 a 08/11/08; “Abril em Flor - Dia da Liberdade”, 24/04/2009; Festinfância 2009, 1ª Edição, de 31/05/09 a 07/06/09; “Max e Mila” de Volker Ludwig, 12/06/09; Café Contacto 2009 - “Especial 2009”, 04/07/09; Festovar’2009, 16ª edição de 9/10/2009 a 28/11/2009; “Armadilha para um homem só” de Robert Thomas, 28/11/09; “Abril em Flor – Liberdade de Expressão”, 24/04/2010; Festinfância 2010 – 2ª Edição, de 30 de Maio a 13 de Junho de 2010; “O Livro da Ilusão” de Domingos Galamba, 13/06/2010; Palcos de Verão (1ª edição), 09/07/2010; Festovar’2010, 17ª edição de 08/10/2010 a 27/11/2010; “Blackout” de Manuel Ramos Costa, 27/11/2010; Festinfância 2011 – 3ª edição de 24 de Maio a 19 de Junho; “A loja dos brinquedos” de Marcelino Costa, 19/06/2011; Café Contacto 2011 – “Tome café e ria bué”, 16/07/2011; Festovar’2011, 18ª edição de 7 de Outubro a 26 de Novembro; “Alguém terá de morrer” de Luiz Francisco Rebello, 26/11/2011; “Abril em Flor – Mulheres”, 24/04/2012; Festinfância 2012 – 4ª Edição, de 26 de Maio a 10 de Junho 2012; “A sopa de Pedra” conto tradicional adaptado por Manuel Ramos Costa, 28 de Maio 2012; Palcos de Verão (2ª Edição), 13/07/2012; Festovar’2012, 19ª edição de 12 de Outubro a 24 de Novembro; “Milena de Praga” de José Jorge Letria, 24/11/2012; “Play outra vez” de Manuel Ramos Costa, 9/12/2012; Festinfância 2013 – 5ª Edição, de 25 de Maio a 9 de Junho 2013; “Doçuras e Travessuras” de Teresa Leite, 27 de Maio de 2013; “Prometo, não volta a acontecer!” de Jorge Geraldo, 20 de Julho de 2013; Festovar’2013. 20ª edição de 11 de Outubro a 23 de Novembro; “Gato por Lebre” de Georges Feydeau, 23/11/2013; “Estórias Nossas” de Pedro Poças e Leonor Morgado, 28/11/2013; “A Escolinha da Lélé” de Teresa Leite, 26/05/2014; Festinfância 2014 – 6ª Edição, de 24 Maio a 8 de Junho; Café Contacto 2014 – “CaféContacto.Com” de 5 a 12 de Julho; Festovar’2014, 21ª edição de 10 de Outubro a 22 de Novembro; “Cousas de Deus e do Diabo” de Gil Vicente, 22/11/2014; “Falsos Deuses” de Rafael Polónia e Tanya Ruivo, 27/12/14; “As canseiras do Zé Padeiro” de Teresa Leite, 25/05/2015; Festinfância 2015 – 7ª Edição, de 23 de Maio a 3 de Junho; “Cinderela” adaptação de Teresa Leite, 12/06/2015; Festovar’2015, 22ª edição de 9 de Outubro a 21 de Novembro; “Enquanto a Cidade Dorme” de Álvaro Magalhães, 18/10/2015; “A Cantora Careca” de Eugène Ionesco, 21/11/2015; “Barquinhos de Papel para Bakiri” de Teresa Leite, 30/05/2016; Festinfância 2016 – 8ª Edição, de 28 de Maio a 5 de Junho; “A raiz e o rouxinol” de Manuel Ramos Costa, 10 de Junho (FIMO); “Contacto Porta Abertas”, 1ª edição, 2 de Outubro; Festovar’2016, 23ª edição de 7 de Outubro a 19 de Novembro; “Medeia” de Mário Cláudio, 8/10/16; “O cavaleiro da triste figura” de Teresa Leite, 19/11/2016; “O avião que tinha medo das alturas” de Kátia Andrade, 22/05/2017; Festinfância 2017 – 9ª Edição, de 20 de Maio a 4 de Junho; “João Pateta” Tradicional, 10 de Junho (FIMO);

 

ITINERÂNCIA TEATRAL

A par das produções e das iniciativas teatrais que anualmente foram sendo realizadas, a Contacto foi regularmente convidada para representar os seus espetáculos em muitas localidades do nosso país, auferindo com a itinerância teatral grande prestígio junto das populações e o apreço de muitos agentes culturais. A média anual de espetáculos ronda os trinta e cinco, para um número estimado em mais de seis mil espectadores. Toda esta ação foi e é feita a título de intercâmbio teatral e, portanto, sem quaisquer fins lucrativos. Em termos geográficos já realizou espetáculos em concelhos dos distritos de Aveiro, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

MÉRITOS

Do Jornal de Ovar, a Contacto foi distinguida com o «Neptuno 97», na área da cultura e orgulha-se de ter no seu elenco a atriz Andreia Lopes e o jovem ator Nuno Sobreira igualmente distinguidos, no âmbito das revelações artísticas, com o «Neptuno 96» e «Neptuno 98», respetivamente. A 7/12/2006, o Jornal Praça Pública atribui à Companhia o prémio da Cultura. Do Amasporto, o Prémio Talma, em 5/2/2006. No Cale-se, Festival Nacional de Teatro de Amadores, realizado em Gaia, nos meses de Janeiro a Março de 2007, a peça “A Lição” foi premiada em 5 categorias: Melhor Espetáculo, Melhor Encenação (Manuel Ramos Costa), Melhor Cenografia (Manuel Ramos Costa), Melhor Banda Sonora (Fernando Rodrigues), Melhor Interpretação Masculina (Álvaro Rocha); No IV Festival Nacional de Teatro de Amadores, organizado pela Associação Nacional de Teatro de Amadores uma iniciativa da ANTA em parceria com a Câmara da Póvoa de Lanhoso, em Fevereiro de 2008, a peça “A Farsa de Mestre Pathelin” foi premiada com o prémio de Melhor Guarda Roupa  (Maria José Valente) e também com uma Menção Honrosa para o Melhor Intérprete Masculino (Nuno Sobreira, interpretando Pedro Pathelin). No V Festival Nacional de Teatro de Amadores uma iniciativa da ANTA em parceria com a Câmara da Póvoa de Lanhoso, em Fevereiro de 2009, a peça “O Auto da Alma” foi premiada com o prémio de Melhor Guarda Roupa (Maria José Valente), Melhor Encenação (Manuel Ramos Costa) e também uma Menção Honrosa para o Melhor Espetáculo. Em 25 de Julho de 2009 foi agraciada com a Medalha de Mérito Municipal (cobre) pelo Município de Ovar. A 9 de Dezembro de 2009 a Presidência do Conselho de Ministros conferiu Utilidade Pública à Contacto em despacho assinado pelo Sr. Primeiro-Ministro José Sócrates. Em 5 de Março de 2011 a Contacto obteve, com a peça “Armadilha para um Homem só”, pela sua participação na VII edição do Concurso Nacional de Teatro, uma parceria entre o Município da Póvoa de Lanhoso e a Federação Portuguesa de Teatro, o prémio para a Melhor Interpretação Masculina (Bruno Biscaia, interpretando La Merluche). Em 3 de Março de 2012, a Contacto venceu o Prémio Ruy de Carvalho para a Melhor Produção (Gradim à janela da ausência), Prémio para a Melhor Encenação (Manuel Ramos Costa) e Prémio para a melhor Interpretação Masculina (Nuno Sobreira), na VIII edição do Concurso Nacional de Teatro, que foi organizada pela Federação Portuguesa de Teatro e pelo Município da Póvoa de Lanhoso, e que contou com o apoio da Fundação Inatel e da Secretaria de estado da Cultura. Prémio para o Melhor Desenho de Luz (André Silva) no Cale-se 7, Festival Internacional de Teatro que decorreu de 9 de Março a 04 de Maio de 2013, com a peça “Milena de Praga”; Neste mesmo certame a produção “Milena de Praga” obteve nomeações para Melhor Sonoplastia, Melhor Figurino, Melhor Encenação e Melhor Espetáculo. Na X edição do Concurso Nacional de Teatro que foi organizada pela Federação Portuguesa de Teatro e pelo Município da Póvoa de Lanhoso, e que contou com o apoio da Fundação Inatel e com a produção “Prometo, não volta a acontecer!”, a Contacto obteve uma Menção Honrosa para Melhor Desenho de Luz (André Silva) e uma Menção Honrosa para Melhor Interpretação Masculina (Manuel Costa) a 1 de Março de 2014;

 

CONSTRUTORES E COLABORADORES

Contando com as que atualmente trabalham nos espetáculos que estão em cena, participaram na nossa Companhia mais de centena e meia de pessoas (crianças, jovens e adultos) que, de breve ou de longa passagem, a premiaram com a sua dedicação e com o seu talento, imbuídas do mesmo espírito obreiro que aos seus fundadores sempre assistiu, e que dela fizeram o que realmente, hoje, se orgulha de ser: o rosto do teatro em Ovar. Na relação que aqui se apresenta, além dos membros estão incluídos os nomes de profissionais (pintores, carpinteiros, costureiras e designers), que não pertencendo à Companhia, participaram nas suas produções.

Manuel António Costa / António Alberto Lopes / Álvaro Rocha / Isabel Granja / Jorge Costa / Delfim Lima / David Aguiar / Elisabete Teques / Alberto Teques / Aníbal Teques / Elvira Granja / António Malafaia / Ernesto Santos / José Guedes / Maria da Luz / Fátima Conde / Conceição Azevedo / Conceição Queirós / Maria da Graça / Lurdes Rodrigues / José António / Carlos Santos / Paulo Biscaia / Helena Santos / António Aguiar / Isolete Santos / José Eduardo / Zélia Pepolim / Manuel Pires Bastos / Alexandrina Paiva / Maria José Mendes / José Carlos / Andreia Lopes / Sérgio Rafael / Mónica Rocha / Eugénia Queirós / Fernando Rodrigues / Daniela Fula / Fátima Carapinha / Maria Alice Carvalho / Cristina Carvalho / Manuel Ferreira / José Carlos / Celina Costa / José Costa / João Ruela / Pedro Félix / Liliana Rocha / Sérgio Praias / Ana Cristina / Lia Rocha / Maria José Muge / São Gonçalves / António Queirós / Avelino Queirós / Pedro Silva / Vítor Santos / João Lavoura / Pedro Lopes / Bruno Rilho / Óscar Malícia / Carlos Reis / Céu Gonçalves / Orquídea Reis / Manuel Malícia / Maria dos Anjos / Cláudio Valente / Ondina Lopes / Mané Graça / Inês Sobreira / Letícia Martins / Fábio Aguiar / Sílvia Costa / Miguel Duarte / João Cunha / Carina Reis / Susana Andrez / Raquel Campos / Patrícia Henriques / Bárbara Andrez / Iolanda Reis / Sandra Granja / Augusto Dias / Nuno Sobreira / Joana Muchagata / Artur Leite / Rui Leite / Isilda Margarida / Marília Martins / Bruno Biscaia / André Sobreira / Domingos Faria / Daniela Lopes / Inês Cruz / Énia Silva / Marcelle Varanda / Marco Luzia / Emanuel Silva / Ana Sofia / Sílvia Silva / Maria do Céu / Mara Lisa / Milene Sousa / Joana Catarina / Carla Dias / Frederico Pinto / João Vieira / Inês Nunes / Catarina Boucinha / Idalina Santos / Esmeralda Souto / Céu Rilho / João Freitas / Ana Cristina / Maria Miguel / Maria João Resende / Ana Catarina / Vasco Guimarães / Maria José Valente / Bruno Gama / António Costa / Laura Santos / Tatiana Carvalho / Laura Reis / Gabriela Vale / Adélia Oliveira / Idalina Santos / Lurdes Sobreira / Daniel Maciel / João Conde / António Pinho / Fábio Carvalho / Zélia Almeida / Conceição Piqueiro / Luís Filipe / Carla Ferreira / Ana Covas / Cláudia Gomes / Sara Reis / Tiago Moreira / André Pisco / Inês Amaral / Rita Bousbaa / Joana Freitas / Rita Pinto / Ricardo Braga / Goretti Vaz / Ivânia Carapinha / Sofia Monteiro / João Santos / Leandro Silva / Alessandro Varanda / Elson Silva / Miguel Sobreira / Vera Magalhães / Alice Grade / Inês Pinto / Bárbara Tavares / Diana Vieira / André Scala / José Miguel / João Paulo / Catarina Santos / Inês Guimarães / Marcelino Costa / José Correia / Raul Andrade / Sara Vaz / Armandina Guimarães / Teresa Leite / Francisco Cunha / Miguel Vasco / Adriana Isabel / Margarida Keating / Cristina Silva / Mariana Silva / Laura Poças / Teresa Poças / Maria Luís Resende / Juliana Almeida / Sofia Rodrigues / Beatriz Dias / Maria João Ferreira / Leonor Reis / João Martins / João Macedo / Ricardo Pinho / Luís Ribeiro / Fausto Dias / Ana Manarte / Pedro Poças / Joana Sousa / Karina Moreira / Sofia Cunha / Margarida Martins / Jorge Fraga / Palmira Rodrigues / Carlos Granja / Diogo Azevedo / José Ferreira / Marco Paulo / João Barge / Aurora Gaia / Tiago Amaral / …

AS NOSSAS MORADAS

Casa 24/26 da Rua Dr. José Falcão, onde decorreu a primeira reunião preparatória do lançamento do grupo «água corrente» e da sua estreia pública, com «A Promessa», de Bernardo Santareno.. Salão Paroquial de Ovar, onde o grupo com o apoio do Pe. Manuel Pires Bastos trabalhou durante os dois primeiros anos, 1983/1985.Teatro Ovarense, onde se prosseguiu a atividade, ao abrigo de um protocolo de colaboração firmado com o Orfeão de Ovar, 1985/1995.. Casa 46/48 da Rua Alexandre Herculano, cedida pela Família Sá, onde a Contacto esteve sediada durante sete anos, 1995/2002. Casa da Contacto, à Rua Dr. José Falcão, 239, adquirida pela Companhia em 2001 e inaugurada a 12/12/2002 pelo Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Ovar, de então, Dr. Armando França.

Calendário Actividades

<< Agosto 2017 >> 
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Topo
Please update your Flash Player to view content.